A dor no baixo ventre está além do normal? Dê uma olhada nesse estudo

15/03/2015 12:11

Dores muito fortes no baixo ventre podem indicar Endometriose. Saiba mais sobre esse assunto.


                                                          

 

Endometriose é uma condição na qual o endométrio, mucosa que reveste a parede interna do útero, cresce em outras regiões do corpo.

Essa formação de tecido ectópico normalmente ocorre na região pélvica, fora do útero, nos ovários, no intestino, no reto, na bexiga e na delicada membrana que reveste a pélvis. Entretanto, esses crescimentos também podem ocorrer em outras partes do corpo.

                         Possíveis causas   

Todo mês, os ovários produzem hormônios que estimulam as células da mucosa do útero (endométrio) a se multiplicarem e estarem preparadas para receber um óvulo fertilizado. A mucosa aumenta de tamanho e fica mais espessa.

Se essas células (chamadas de células endometriais) crescerem fora do útero, surge a endometriose. Ao contrário das células normalmente encontradas dentro do útero que são liberadas durante a menstruação, as células fora do útero permanecem no lugar. Elas às vezes sangram um pouco, mas se curam e são estimuladas novamente durante o ciclo seguinte.

Menstruação retrógrada

Isso acontece quando o sangue da menstruação que contém células do endométrio retorna pelas trombas de falópio e cavidade pélvica ao invés de sair do corpo da mulher. Essas células endométricas perdidas instalam-se nas paredes dos órgãos da região pélvica e começam a crescer. Apesar disso, continuam a funcionar normalmente, como se estivessem no lugar certo.

Crescimento de células embrionárias

As células que revestem o abdômen e as cavidades pélvicas são originárias de células embrionárias comuns. Quando, no processo de diferenciação tecidual, as células que revestem o intestino podem converte-se em tecido endometrial e assim a endometriose pode aparecer.

Sistema imunológico deficiente

Deficiências no sistema imunológico também podem causar a doença, tornando o corpo incapaz de reconhecer e destruir as células endometriais que crescem no lugar errado.

Outras causas

Após alguma cirurgia, como histerectomia, por exemplo, as células do endométrio podem prender-se às incisões cirúrgicas. O sistema linfático pode, também, transportar células do endométrio para outras partes do corpo e dar origem a um quadro de endometriose em locais mais distantes, como o pulmão, por exemplo.

Fatores de risco

Uma mulher cuja mãe ou irmã tem endometriose apresenta seis vezes mais probabilidade de desenvolver endometriose do que as mulheres em geral. Outros possíveis fatores de risco:

  •   Começar a menstruar muito cedo
  •   Nunca ter tido filhos
  •   Ciclos menstruais frequentes
  •   Menstruações que duram sete dias ou mais
  •   Problemas como hímen não perfurado, que bloqueia a passagem do sangue da menstruação
  •   Anormalidades no útero.
  •   excessivo durante os períodos menstruais
  •   Infertilidade
  •   Fadiga
  •   Diarreia
  •   Náuseas.

A intensidade da dor não está relacionada à extensão do problema. Pode acontecer da paciente nem ao menos perceber que tem endometriose, nos casos em que a doença não manifesta sintomas. Além disso, muitas vezes os sinais da endometriose podem ser confundidos com os de outras doenças, por isso é muito importante consultar um médico antes de dar início a qualquer tipo de tratamento.

Beta-Cariofileno regride EDOMETRIOSE

                        ÓLEO ESSENCIAL DE COPAÍBA

 

 Um estudo 1 recente demonstrou que o beta (trans)-cariofileno, principal componente do óleo de copaíba (50-55%), possui potencial terapêutico no tratamento da endometriose. Autilização de 10mg/kg de beta-cariofileno em ratas com endometriose induzida promoveu a regressão de implantes endometrióticos em torno de 52.5% comparado com os animais que não usaram. O Beta-cariofileno além de agir como anti-inflamatório, produziu apoptose (morte celular) dos cistos e teve ação antiangiogênica, inibindo o crescimento local de capilares sanguíneos que podem produzir hemorragias. O estudo conclui afirmando que o uso de Beta-cariofileno na endometriose é uma promissora terapêutica a ser dada maior atenção, sem efeitos tóxicos para pacientes com endometriose, além de ter a vantagem de não afetar a fertilidade como o tratamento convencional faz. 1. Abbas MA, et al. β-Caryophyllene causes regression of endometrial implants in a rat model of endometriosis without affecting fertility. 

Fontes:http://www.minhavida.com.br/saude/temas/endometriose

                     http://laszlo.ind.br/campanhas/

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!